Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Maninho do Posto
Denilson Silva Pessanha

  • Capturado


    1 - Receptação Qualificada (Art. 180, §§ - Cp), § 1º do CP; 56, caput da Lei 9605/97 E Uso de documento falso (Art. 304 - CP), caput C/C Falsificação de documento particular (Art. 298 - CP), caput, ambos do CP N/F Concurso Material (Art. 69 - Cp)
    2 - Crimes Contra a Ordem Econômica (Art. 1º - Lei 8.176/91)
    3 - Crimes de Tortura (Art. 1º - Lei 9.455/97), a
    4 -
  • Duque de Caxias - RJ
  • 05/10/1972
  • Nº (I.F.P.) 103.355.343
  • Duque de Caxias - RJ
  • Capturado

Histórico

PRISÃO 05/11/2020

Policiais da Delegacia de Defesa de Serviços Delegados (DDSD) prenderam, nesta quinta-feira (05/11), Denilson Silva Pessanha, o Maninho do Posto, líder da maior organização criminosa especializada em perfuração e retirada de combustível de oleodutos da Petrobras. Segundo as investigações, a quadrilha age no estado do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo e foi responsável pelo furto de R$ 14 milhões de litros de petróleo, entre junho de 2015 e março de 2017, ocasionando um prejuízo estimado em R$ 33,4 milhões para a estatal neste período.

Com base em informações do Setor de Inteligência e do Disque-Denúncia, os agentes localizaram e prenderam Maninho do Posto no município de Vila Velha, no Espírito Santo. No Portal dos Procurados, a recompensa por informação sobre o seu paradeiro era de R$ 5 mil.

hISTORICO



DISQUE DENÚNCIA AUMENTA PARA R$ 5 MIL A RECOMPENSA PELA PRISÃO DE MANINHO DO POSTO

Ele é líder de uma organização criminosa responsável pela prática de furto de combustível em oleodutos na Baixada Fluminense

 

O Portal dos Procurados divulga cartaz para ajudar a Polícia do Rio e o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), com informações que possam levar a localização e prisão de Denílson Silva Pessanha, o "Maninho do Posto".

O procurado, de 48 anos, é apontado como líder de uma organização criminosa que pratica furto qualificado de combustível por meio da perfuração e retirada direta dos oleodutos que atravessam a Baixada Fluminense.

É oferecida uma recompensa de R$ 5 mil reais por informações que levem à sua captura. Anteriormente, essa recompensa era de R$ 1 mil reais.

De acordo com a denúncia do GAECO/MPRJ, os criminosos atuavam desde 2015 em Duque de Caxias perfurando as instalações e, retirando o óleo in natura. A organização criminosa, que se estruturou em três núcleos, Rio de Janeiro/Duque de Caxias, Minas Gerais e São Paulo, foi alvo da operação ?Ouro Negro?, realizada em 2017 pelo GAECO/MPRJ e pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) da Polícia Civil. Na ocasião, foram cumpridos 11 mandados de prisão preventiva e 26 de busca e apreensão contra a quadrilha que, apenas no ano de 2016, desviou cerca de 14 milhões de litros dos oleodutos causando um prejuízo de aproximadamente R$ 33,4 milhões.

De 2017 até este ano, foram denunciados 74 integrantes da organização criminosa, tendo sido expedidos pelo Judiciário, 62 mandados de prisão e outros 110 de busca e apreensão em endereços ligados aos denunciados.

Seis integrantes da quadrilha, entre eles ?Maninho do Posto", foram condenados a penas que variam de quatro a sete anos de prisão.

Contra "Maninho do Posto" foi expedido mandado de prisão, 3ª Vara Criminal da Comarca do Rio de Janeiro/Central de Assessoramento Criminal/CAC, mandado número 0056429-60.2016.8.19.0021, pelo crime de Organização Criminosa (Lei 12.850/2013), sentença proferida no dia 14/07/2020.

Segunda a sentença, restou solidamente comprovado que Maninho exercia ?a chefia da organização criminosa?, sendo o responsável por ?dar o destino final dos produtos para outros Estados da Federação, como São Paulo e Minas Gerais, e o recrutamento de motoristas dos caminhões que seriam utilizados para fazer o transbordo das cargas furtadas, atividades asseguradas, inclusive, com emprego de arma de fogo?. Assim, foi condenado pelo crime de organização criminosa, majorado pelo emprego de arma de fogo e por exercício de comando (art. 2º, §§ 2º e 3º, da Lei 12.850/13), à pena de 7 anos, 5 meses e 25 dias de reclusão em regime semiaberto.

 A recompensa será  paga, exclusivamente, por informações passadas ao Disque Denúncia do Rio de Janeiro.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização Denílson Pessanha, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177 , ou pelo Aplicativo para celular ? Disque Denúncia e também pelos aplicativos: https://twitter.com/PProcurados, e https://www.instagram.com/portal.dos.procurados, e em todos os casos  O Anonimato é garantido.