Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Joca da Rocinha
Joca Rafael da Silva

  • 1 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), I e IV (2 vezes) N/F Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp) E Sequestro e Cárcere Privado (Art. 148 - Cp), (2 vezes) N/F Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp) E Destruição, Subração Ou Ocultação de Cadáver (Art. 211 - Cp), (2 vezes) N/F Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp) N/F Concurso Material (Art. 69 - Cp)
  • Integrante do Tráfico de Drogas/Assaltante
  • Favela da Rocinha - Zona Sul - RJ
  • 09/07/1975
  • Nº (I.F.P.) 098.467.137
  • Rio de Janeiro
  • Procurado

Histórico


João Rafael da Silva, o Joca da Rocinha, está sendo procurado por fazer parte de um processo, datado em 2013, pelo crime de - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), I e IV (2 vezes) N/F Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp) E Sequestro e Cárcere Privado (Art. 148 - Cp), (2 vezes) N/F Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp) E Destruição, Subração Ou Ocultação de Cadáver (Art. 211 - Cp), (2 vezes) N/F Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp) N/F Concurso Material (Art. 69 - Cp), mandado número 392827-95.2013.8.19.0001.0003, datado em 06/07/2017, pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, 4° Cartório da 4ª Vara Criminal, e se encontra em liberdade desde abril de 2015, quando saiu do Patronato Magarinos Torres. .

Ele foi preso em 2007, no Aeroporto de Fortaleza, no Ceará, quando, segundo a polícia, esperava a namorada desembarcar. Os agentes da Cinpol estariam no mesmo avião que ela. Na época ele estava sendo monitorado desde quando teria deixado a Rocinha com R$ 2,5 milhões.

Na época de sua prisão, Joca teria passado pelo estado de Mato Grosso e pelo Distrito Federal, antes de ir para o Ceará. Atualmente ele é investigado pela execução, em março de 2007, de três menores na Rocinha. Uma das vítimas seria Suellen Moreira, de 15 anos, que namorava um policial detido, por suspeita de vazar informações sobre uma operação na favela.

De acordo com a Polícia Civil, o traficante costumava adotar uma política assistencialista para conseguir o apoio dos moradores da favela da Rocinha e estaria à frente das negociações com atacadistas de drogas. Joca controlaria o tráfico de drogas na área que ia do Shopping Downtown, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, até o Humaitá, na Zona Sul.

A Polícia Civil disse ainda que Joca integrou a quadrilha de Denir Leandro dos Santos, o Dênis da Rocinha, que morreu enforcado em 2001 no presídio de Bangu I. Ele foi cúmplice ainda de Luciano Barbosa da Silva , o Lulu, morto em confronto com a polícia em abril de 2004.


Referente ao processo Nº do Mandado de Prisão: 0392827-95.2013.8.19.0001.01.0001-03, o exame dos autos revela que o Acusado são apontados como autores dos delitos em questão, pelo conjunto de indícios coligidos durante a investigação criminal. Nesse sentido, destaquem-se os termos de fls. 12/16, 64/67, 95/96, 145/146, 148/149, pastas eletrônicas 19/23, 75/78, 106/107, 161/162, 164/165, respectivamente. Demais disso, o modus operandi de que teriam os Réus se valido para a prática dos delitos, conforme detalhadamente descrito na denúncia ora recebida, denota invulgar audácia e profunda indiferença pela vida humana. Conforme bem apontado pelo MP, as vítimas foram retiradas à luz do dia e submetidas a julgamento por ´tribunal do tráfico´, por serem suspeitos de passar informações aos agentes da lei. Tal conduta é corriqueira entre os integrantes do movimento do tráfico, a recomendar a adoção da medida extrema, como forma de aplacar a deletéria sensação de impunidade que resulta da ausência de pronta resposta do Estado. Essa mesma dinâmica, tal como acima expendida, gera reflexos igualmente na instrução criminal, haja vista o fundado temor de moradores próximos do local dos fatos - possíveis testemunhas - a dificultar, ou mesmo impedir, o regular andamento da instrução criminal, em face da ´lei do silêncio´ que nela vigora nas comunidades dominadas pelo Tráfico. Nesse sentido, destaco que a testemunha amiga das vítimas, declarou, em sede policial, que, depois de ter sido espancada pelos traficantes da localidade no mesmo dia, nunca mais retornou à Rocinha (termo de fls. 148/149).

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do procurado favor informar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram dos Procurados (21) 98849-6099; pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, pelo facebook/(inbox), endereço:https://www.facebook.com/procurados.org/, ou pelo aplicativo do DD., e também pelo telefones do Disque Denuncia Noroeste - 3822 ? 1177 ou 99860- 1177.

Mandados

Origem Processo expedição
Comarca da Capital/4ª Vara Criminal Nº do Mandado de Prisão: 0392827-95.2013.8.19.0001.01.0001-03/Prisão Preventiva Data de expedição: 06/07/2017

Notícias