Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Sombra de Araruama
Luís Fernando Sousa da Silva

  • 1 - Homicídio Simples (Art. 121, caput - CP), § 2º, incisos II e IV N/F Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp)
    2 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP)
  • CV - Comando Vermelho
  • Integrante do Tráfico de Drogas
  • Araruama - Condomínio II- RJ
  • 24/05/1991
  • RG Nº. (I.F.P.) 281.568.493
  • Rio de Janeiro ? RJ
  • Procurado

Histórico

ENVOLVIDO NA MORTE DO CABO PM ANTONIO CARLOS DE MOURA


Luís Fernando Souza da Silva, conhecido como Sombra ou Vela, é apontado pela Polícia Civil como um dos suspeitos da morte do Cabo da Polícia Militar Antônio Carlos de Oliveira de Moura, de 33 anos, lotado no Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), morto em abril de 2018, foi condenado, em março de 2017, a cinco anos de prisão por tentar matar um homem em Iguaba Grande, na Região do Lagos. De acordo com dados do processo, Sombra atirou contra Anderson da Cunha Carvalho, em março de 2015, com intenção de matá-lo. A vítima, no entanto, foi atingida na perna esquerda e sobreviveu. Sombra está foragido desde o dia que teve a prisão temporária decretada pela Justiça.

Ainda segundo informações do processo, Sombra teria tentado matar Anderson porque a vítima havia presenciado outro homicídio cometido por ele durante o carnaval de 2015. Testemunhas do processo afirmaram que Sombra tem envolvimento com o tráfico de drogas no Condomínio II, em Araruama, onde o cabo Moura foi capturado para ser morto em seguida.

Sombra foi condenado a cumprir a pena em regime semiaberto, mas já havia progredido para o aberto e estava em prisão domiciliar monitorado por tornozeleira eletrônica. Logo depois, a juíza Juliana Benevides de Barro Araújo, da Vara de Execuções Penais do Rio, deu um despacho no processo do acusado no qual notificava que o mesmo estava foragido.

De acordo com investigação da 118ª DP (Araruama), o cabo Antônio Carlos de Moura esteve no Condomínio II para ajudar um amigo a retirar pertences de seu tio falecido, que era casado com Paula de Azevedo Esteves Souza, também suspeita do crime, e que já está presa. Na resiência do casal, teria havido um desentendimento por causa da retirada de uma cama. Paula foi até uma boca de fumo relatar os fatos aos traficantes, entre eles Somba. Os criminosos foram até a casa, sequestrado Antônio Carlos e o matado em seguida. O corpo do PM foi encontrado dentro do porta-malas de seu próprio veículo, numa fazenda na Estrada da Pedreira, em Iguaba Grande, também na Região dos Lagos. Moura trabalhava há oito na corporação. Ele era casado, e deixou a esposa grávida.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do acusado, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular - Disque Denúncia RJ - . A recompensa só é paga com informações passadas para o Disque Denuncia ou Whatsapp dos Procurados.

Mandados

Origem Processo expedição
Outros MD - 045780/2018/Prisão Preventiva Distribuído em 29/04/2018
40ª Vara Criminal Processo No 0000624-12.2015.8.19.0069.01.0001-06/Prisão Definitiva Distribuído em 28/08/2018
Comarca de Araruama/Vara Criminal Processo Nº 0005405-26.2018.8.19.0052.01.0002-23/Prisão Preventiva Distribuído em 25/05/2018