Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Cara Preta
Paulo Roberto Silva Taveira

  • 1 - Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06); Resistência (Art. 329 - CP), § 1º E Disparo de Arma de Fogo (Art. 15 - Lei 10.826/03) N/F Concurso Material (Art. 69 - Cp)

    2 - Roubo Majorado

    3 - Organização Criminosa (Lei 12.850/2013), art. 2º, § 2º
  • TCP - Terceiro Comando Puro
  • Chefe do Tráfico de Drogas
  • Morro do Chapéu Mangueira
  • 12/04/1994
  • Nº. (I.F.P.) 203.551.387
  • Rio de Janeiro - RJ
  • Procurado

Histórico

Paulo Roberto Silva Taveira, o Cara Preta, de 34 anos, é ligado a facção TCP - Terceiro Comando Puro, e faz parte do tráfico de drogas que age no Morro Chapéu Mangueira, no Leme, Zona Sul do Rio.

Paulo Roberto estava preso desde 2009, mas fugiu da cadeia em Julho de 2017, após ganhar da Justiça, o benefício de visitação periódica ao lar. Desde então, ele é considerado Foragido da Justiça.

Cara Preta foi um dos responsáveis pelo intenso confronto, que vem ocorrendo entre as comunidades do Chapéu Mangueira e Morro da Babilônia. Segundo informações da Polícia Civil, a disputa pelo controle de pontos de venda de entorpecentes entre as duas facções, ficou ainda mais acirrado em Fevereiro de 2018, quando traficantes do Chapéu Mangueira (TCP), comandados por Paulo Roberto da Silva Taveira, o Cara Preta, chefe do tráfico da comunidade, expandiu seu domínio para a Babilônia, coordenada pelo Comando Vermelho.

Com o intuito de comprar armas para a invasão, Cara Preta teria retomado a praticar antigo crime, o de disfarce com outra profissão, para assaltar prédios luxuosos. Foi o que ele fez em fevereiro, só que de forma mais audaciosa: se vestiu como policial federal. O mesmo, acompanhando por mais três homens e uma mulher, disseram que tinham um mandado de prisão (que era falso) e solicitaram, na portaria, a entrada em um apartamento, que foi autorizada pelo morador.Um deles estava com terno e dizia ser delegado. Foram roubados R$ 110 mil, além de jóias, e fugiram após amarrar o casal que residia no imóvel.

O Bope foi acionado e entrou nas comunidades assim que a troca de tiros teve início, às 5h30, no dia (05/06/2018). A PM acredita que muitos criminosos tenham se escondido na mata e, por isso, deu início a buscas na vegetação. À noite, dois criminosos foram baleados e socorridos ao Hospital Municipal Miguel Couto, mas não resistiram. Duas armas, sendo um fuzil M-16 e uma pistola, foram apreendidas com eles.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização dos envolvidos, pode denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram dos Procurados (21) 98849-6099; e pelo Facebook (inbox), aplicativo ou telefone do Disque-Denúncia (21) 2253-1177. O anonimato é garantido.

Mandados

Origem Processo expedição
35ª Vara Criminal - Capital Processo nº 0282893-66.2017.8.19.0001.01 Distribuído em 04/12/2017
36ª Vara Criminal - Capital Processo nº 0197786-20.2018.8.19.0001/ Prisão Preventiva Distribuído em 14/09/2018
28ª Vara Criminal - Capital Processo nº 0300998-91.2017.8.19.0001/ Prisão Temporária Distribuído em 13/12/2017
28ª Vara Criminal - Capital Processo nº 0047618-06.2018.8.19.0001/ Prisão Preventiva Distribuído em 17/05/2018
5ª Vara Criminal - Capital Processo nº 0168922-69.2018.8.19.0001/ Prisão Preventiva Distribuído em 21/11/2018