Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Mágico do Rio das Pedras
Fabiano Cordeiro Ferreira

  • Milícia


    1 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), I e IV (2 vezes) e V N/F Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp) E Organização Criminosa (Lei 12.850/2013), art. 2º, §§ 2º e 3º E Organização Criminosa (Lei 12.850/2013), art. 2º, §§ 2º, 3º e 4º, inc. II E Organização Criminosa (Lei 12.850/2013), art. 2º, § 2º E Corrupção ativa (Art. 333 - CP) E Concurso Material (Art. 69 - Cp)
  • Milícia Rio das Pedras
  • Integrante da Milícia /Rio das Pedras
  • Rio das Pedras - Jacarepaguá - RJ
  • 02/05/1982
  • RG Nº. (I.F.P.) 212.674.469
  • Ipueiras - CE
  • Procurado

Histórico

Fabiano Cordeiro Ferreira, o Mágico é ligado ao grupo paramilitar denominada Milícia do Rio das Pedras, que fica localizada na comunidade de Rio das Pedras em Jacarepaguá.

A prisão de Marcus Vinícius Reis dos Santos, de 45 anos, conhecido como Fininho, nesta quarta-feira (8), faz parte das buscas das autoridades pelos envolvidos com a milícia que comanda as ações nas comunidades de Rio das Pedras e Muzema, na Zona Oeste da cidade.

A quadrilha foi identificada e denunciada numa investigação que deu origem à operação Intocáveis, deflagrada em janeiro deste ano. Da quadrilha identificada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), até o momento, oito investigados foram presos. Cinco se mantêm foragidos, entre eles, Adriano Magalhães, conhecido como capitão Adriano, ex-oficial da Polícia Militar do Rio de Janeiro.

Em março de 2009, ele foi indiciado de matar quatro pessoas na Favela Rio das Pedras, Fabiano Cordeiro Ferreira, foi apontado pela polícia como integrante de um grupo de extermínio da região. Investigações da 32ª DP (Taquara) concluíram que ele e mais cinco pessoas teriam sido os responsáveis pelo cumprimento das leis impostas pela milícia. Os homicídios de 2008 cometidos por Mágico e sua turma começaram em janeiro. O entregador de farmácia Gutemberg Dias Barbosa foi uma das vítimas.

Ele estava lavando sua motocicleta quando deixou espirrar água em uma parente de miliciano. Segundo uma testemunha, o rapaz foi jurado de morte desde então. No dia 26 daquele mês, Gutemberg teria sido assassinado na localidade chamada Areinha por Mágico e os PMs Maurício da Silva Costa, o Maurição, e Marcus Vinicius Reis dos Santos, conhecido como Fininho.

Em 18 de fevereiro de 2013, o juiz Marco Mattos Couto, da 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá, condenou 12 e absolveu sete de 19 réus que respondiam pelos crimes de formação de quadrilha armada e lavagem de dinheiro. Os condenados integravam a milícia da comunidade Rio das Pedras, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, que, de acordo com o magistrado, é uma das mais antigas do país.

Em junho do mesmo ano, Mágico convocou mais quatro comparsas, desta vez para matar Jefferson Nascimento. Participaram da execução, segundo a polícia, Antonio Carlos de Morais, o Caveirinha; o PM Cristiano Cleic Hygino e Ricardo Zacarias Cristino. Jefferson foi morto porque seria dependente químico.
Mágico ainda foi investigado pela morte do comerciante Adeildo Alves da Cunha. A execução seria o castigo imposto pela milícia, que decidiu punir a vítima por causa de um empréstimo não pago.

Em 2016, Agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco-IE) prenderam Fabiano Cordeiro Ferreira, o Mágico ou MG, de 33 anos, Segundo o delegado Alexandre Herdy, à época titular da Draco-IE, Mágico teria ligações com os milicianos de Rio das Pedras e é suspeito de ter praticado homicídios na região. Contra ele foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva, sendo um por homicídio qualificado e outro já por condenação no crime de quadrilha armada. Em 2018 saiu em liberdade após cumprir sentença.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do assassino ainda em liberdade, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular .



Mandados

Origem Processo expedição
Comarca da Capital/4ª Vara Criminal Processo No 0008202-94.2019.8.19.0001.01.0012-25/Prisão Preventiva Distribuído em 22/01/2019