Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Tia
Rosane Moreira da Silva da Conceição Almeida

  • 1 - Organização Criminosa (Lei 12.850/2013)
    2 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), I, III e IV
  • Milícia
  • Gerente Financeira
  • Bairro do Visconde - Itaboraí - RJ
  • 04/03/1982
  • Nº (I.F.P.) 246.643.787
  • Rio de Janeiro
  • Procurado

Histórico

Rosane Moreira da Silva da Conceição Almeida, é ligada a um grupo paramilitar que age bairro Porto das Caixas, em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio. Ele gerencia a milícia do bairro de Visconde. O posto de chefe da quadrilha pertencia a miliciano Renato Nascimento dos Santos, o Renatinho Problema, até sua prisão em dezembro de 2018. Depois, comparsas começaram a disputar o posto de chefe.

Segundo a denúncia oferecida à Justiça pelo Ministério Público do Rio ? que culminou com a decretação da prisão de mais de 70 milicianos ? Rosane Moreira Almeida, a Tia, era a gerente financeira da quadrilha. Outras sete mulheres, responsáveis por percorrer as ruas atrás do ?recolhe?, respondiam diretamente a ela. Além de casas e comércios, mototaxistas, empresas de telefonia e internet e até escolas estavam na caixinha da milícia. Por mês, de acordo com o depoimento de um miliciano preso que aceitou colaborar com as investigações, o bando conseguia juntar até R$ 200 mil somente com as taxas cobradas em dois bairros, Porto das Caixas e Visconde.

Uma parte do montante era reservada a milicianos presos: R$ 15 mil, segundo o colaborador, eram repassados toda semana a Renato Nascimento dos Santos, o Renatinho Problema, chefe do grupo. Quem ia a Itaboraí buscar o dinheiro era a mãe do miliciano.

Para punir moradores que eram considerados ameaças ? e passar uma mensagem ao resto da população ? a milícia de Itaboraí recorria a sessões públicas de tortura. Numa delas, em outubro de 2018, uma mulher grávida de dois meses perdeu o bebê. Na ocasião, um casal foi espancado na frente das duas filhas porque milicianos suspeitavam que eles passavam informações do bando para traficantes.

As vítimas tiveram que fugir do município após o crime e procuraram a Polícia Civil. Em depoimento, contaram que os milicianos chegaram por volta das 23h à casa do casal e os obrigaram a sair do imóvel. Alguns vestiam capuzes. As vítimas foram algemadas e, em seguida, começou o espancamento.
A mulher foi atingida por chutes na barriga. Já o homem teve um cano de pistola colocado na boca e foi agredido com um taco de sinuca. Depois das agressões, um dos milicianos obrigou o casal a se ajoelhar no chão e urinou no rosto dos dois. Por fim, eles foram obrigados a deixar a casa só com a roupa do corpo.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização dos envolvidos na milícia de Itaborai, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular do Disque Denuncia.


MANDADOS

Mandados

Origem Processo expedição
Comarca de Itaboraí 1ª Vara Criminal Cartório da 1ª Vara Criminal 0025888-67.2018.8.19.0023/Espécie de prisão: Preventiva/Situação: Pendente de Cumprimento Data de expedição: Data de expedição: 26/06/2019
Comarca de Itaboraí 1ª Vara Criminal Cartório da 1ª Vara Criminal Processo No 0026544-87.2019.8.19.0023 Data de expedição: 09/12/2019