Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Naldo da Carobinha
Reginaldo Martins do Nascimento

  • 1 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), II e IV; Organização Paramilitar / Milícia Privada / Grupo Ou Esquadrão - Art. 288-a, C. P.; Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp)
    2 - Quadrilha ou Bando (Art. 288 - CP); Lei dos Crimes Hediondos (Lei 8.072/90), art. 8/Associação Criminosa - Art.288 do Cod Penal (Redação Dada Pela Lei 12.850 de 2013); Lei dos Crimes Hediondos (Lei 8.072/90), art. 8
  • Milícia/Liga da Justiça
  • Integrante da Milícia
  • Carobinha - Campo Grande
  • 02/01/1969
  • Nº (I.F.P.) 087.625.547
  • Rio de Janeiro
  • Procurado

Histórico

Reginaldo Martins do Nascimento, de 50 anos é ligado a organização criminosa (milícia) denominada ? Liga da Justiça - Uma investigação da Delegacia de Homicídios revelou que milicianos da Favela da Carobinha, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, executaram um homem por suspeitar que ele cometia roubos e furtos na localidade e que era usuário de drogas. O crime foi cometido na frente de moradores.

Apontado como o chefe da milícia no local, Reginaldo Martins do Nascimento, o Naldo da Carobinha, é acusado de ser o mandante do crime, que foi cometido por dois comparsas, João Paulo Castro Pereira e Pedro Paulo Castro Pereira.

No dia dos fatos, a vítima estava na rua quando foi abordada por João Paulo e Pedro Paulo, que estavam em automóvel cor prata. Eles ordenaram que o rapaz virasse de costas, tendo eles, na sequência, efetuado os disparos, na presença de moradores, os quais, inclusive, teriam sido advertidos pelos acusados para que não se preocupassem, pois a vítima era ladrão e não roubaria mais ninguém.

Naldo da Carobinha é antigo no mundo do crime. Ele chegou a integrar a facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) na década passada, quando a favela era controlada pelo tráfico e estava sob o domínio de um criminoso identificado como Paulo Cesar da Carobinha, que atualmente se encontra preso.

Depois se associou à Liga da Justiça, maior milícia do Rio, onde começou exercendo funções relacionadas à prática de extorsão de "diárias" dos motoristas de veículos de transporte alternativo de passageiros e de retaliações (inclusive homicídios) contra os integrantes de grupo paramilitar rival.

Naldo chegou a se desentender com a Liga da Justiça, mas voltou ao comando após a morte de Carlinhos Três Pontes, que chefiava o grupo paramilitar. Hoje atuam em conjunto.

Naldo responde a dois processos na Justiça. 1 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), II e IV; Organização Paramilitar / Milícia Privada / Grupo Ou Esquadrão - Art. 288-a, C. P.; Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp); 2 - Quadrilha ou Bando (Art. 288 - CP); Lei dos Crimes Hediondos (Lei 8.072/90), art. 8/Associação Criminosa - Art.288 do Cod Penal (Redação Dada Pela Lei 12.850 de 2013); Lei dos Crimes Hediondos (Lei 8.072/90), art. 8

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização de foragidos da Justiça favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular do Disque Denuncia.

Mandados

Origem Processo expedição
Comarca da Capital 2ª Vara Criminal Cartório da 2ª Vara Criminal Nº do Mandado de Prisão: 0250058-54.2019.8.19.0001.01.0003-07//Espécie de prisão: Preventiva Data de expedição: 16/10/2019
Comarca da Capital 42ª Vara Criminal Central de Assessoramento Criminal - Cac Nº do Mandado de Prisão: 0409403-08.2009.8.19.0001.01.0001-11/Espécie de prisão: Definitiva Data de expedição: 09/03/2015
Comarca da Capital 42ª Vara Criminal Central de Assessoramento Criminal - Cac Nº do Mandado de Prisão: 0409403-08.2009.8.19.0001.01.0003-15/Espécie de prisão: Definitiva Data de expedição: 05/11/2009