Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Batata de Saracuruna
Cristiano Oliveira Alves dos Santos Junior

  • capturado


    1 - Associação Criminosa (Art. 288 - Código Penal)
    2 - Lesão Corporal Decorrente de Violência Doméstica (Art. 129, § 9º e / Ou § 11 - Cp); Violência Doméstica Contra a Mulher
  • Milícia
  • Integrante da Milícia
  • Saracuruna - Duque de Caxias - RJ
  • 14/06/1996
  • Nº (I.F.P.) 274.493.816
  • Duque de Caxias - RJ
  • Capturado

Histórico

A Polícia Civil levou para delegacia 21 pessoas que estavam em um churrasco de aniversário no Jardim Primavera, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Entre os detidos estão pelo menos 9 suspeitos de integrar uma milícia que atua na região.

Todos os detidos foram levados para a 60° Delegacia de Polícia (Campos Elíseos), onde prestaram depoimentos e foram qualificados. Os nove presos serão acusados de constituição de milícia privada, porte de arma de fogo e receptação.

A ação foi realizada após informações do Disque Denúncia.

Segundo o titular da delegacia de Campos Elíseos, Uriel Machado, foram apreendidas quatro armas e uma moto roubada.

Entre os presos capturados, a polícia encontrou Cristiano Oliveira Alves dos Santos Junior, conhecido como Batata, e Solano Peixoto da Silva, duas lideranças da milícia que atua nos bairros de Saracuruna, Vila Urussaí e Jardim Primavera, em Duque de Caixas.

Contra Batata, existiam dois mandados de prisão pendentes.



hISTÓRICO


Cristiano Oliveira Alves dos Santos Junior, o Batata de Saracuruna é ligado a um grupo paramilitar que age em Saracuruna, em Duque de Caxias, Baixada Fluminense.
Policiais da 60ªDP (Campos Elíseos) prenderam, na sexta-feira (23/08), Vinicius Alves Malta de Moraes, 28 anos, conhecido como Cuzinho. Contra ele foi cumprido mandado de prisão preventiva, expedido pela Justiça, pelo crime de porte de arma.

Os agentes diligenciaram, para verificar informação sobre milicianos que recolhiam dinheiro de extorsão a motoristas de van no bairro Saracuruna, em Duque de Caxias, quando viram Vinicius chegar ao local em uma moto e circulando entre os veículos de passageiros que estavam estacionados, dando avisos para o início do pagamento.

Em seguida, o veículo Chevrolet Meriva, cor prata, já conhecido por pertencer ao miliciano Cristiano Oliveira Alves dos Santos Junior, conhecido como Batata, que conduzia o carro com homens armados, momento em que os policiais desembarcaram da viatura e deram ordem de parada. A reação de Batata foi acelerar o veículo para atropelar os agentes e, dessa forma, conseguir fugir. O miliciano conseguiu fugir ao tentar atropelar os policiais, e já é foragido da Justiça, possuindo mandado de prisão por integrar a milícia que atua na região

A dupla de milicianos já era conhecida do Setor de Inteligência da 60a DP, estando envolvidos em extorsões ao comércio, ao transporte alternativo de van e mototáxi, roubos de carga, homicídios, ameaças, entre diversos outros crimes.

Em relação ao processo Nº do Mandado de Prisão: 0057395-86.2017.8.19.0021.01.0002-21/Prisão Preventiva O juízo da 3ª Vara Criminal de Duque de Caxias converteu nesta quarta-feira, dia 11, a prisão temporária em preventiva de nove acusados de associação criminosa para prática de diferentes crimes no município da Baixada Fluminense como: extorsão de moradores, motoristas de vans e comerciantes, além de furto de sinal de TV a cabo, exploração ilegal de venda de gás, porte de arma e homicídio.

A prova da existência do crime e os indícios de autoria estão presentes, consubstanciados nas declarações prestadas em sede policial. Vislumbra-se situação concreta de que os acusados, em liberdade, persistirão na prática dos atos criminosos, havendo iminente risco de frustrarem a aplicação da lei penal, evadindo-se, destacou texto da decisão.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do miliciano Batata, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular.