Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Tio Nem de Parada Angélica
Cláudio da Silva Pereira

  • EVADIDO DO SISTEMA PENITENCIÁRIO



    1 - Roubo Majorado (Art. 157, § 2º - CP), I e II Concurso Formal (Art. 70 - Cp)
    2 - Posse Ou Porte Ilegal de Arma de Fogo de Uso Restrito e Outros (Art. 16 - Lei 10.826/03), § único, IV
    3 - Roubo Majorado (Art. 157, § 2º - CP), incs.I e II
    4 - Roubo Majorado (Art. 157, § 2º - CP), incs.I e II, 2x N/F N/F Concurso Formal (Art. 70 - Cp)
  • CV - Comando Vermelho
  • Gerente do Tráfico de Drogas
  • Parada Angélica - Duque de Caxias - RJ
  • 09/11/1979
  • Nº (I.F.P.) 11.152.794-1
  • Anchieta - RJ
  • Foragido do Sistema Penitenciário

Histórico

Claudio da Silva Pereira, vulgo Tio Nem é ligado a uma organização criminosa atua nas comunidades de Parada Angélica, Santa Lúcia e adjacências, capitaneada pela facção Comando Vermelho ? CV - . Ele integra a associação criminosa desempenhado a função de gerente-geral do tráfico de drogas de Parada Angélica, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), em parceria com a Delegacia de Homicídios da Capital e com o apoio das Delegacias de Homicídios e da Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil (CORE), deflagrou no dia (24/07), em Duque de Caxias, a operação Madre II para prender 27 pessoas acusadas de associação para o tráfico de drogas.
A denúncia ajuizada pelo GAECO/MPRJ teve origem nas provas colhidas no inquérito policial 861-00806-2018, que apurou o crime de latrocínio contra o policial militar Douglas Fontes Caluetê, morto no dia 7 de junho de 2018, em Saracuruna. As investigações apontaram a prática de associação para o tráfico de drogas, com a utilização de roubos e prática de diversos homicídios como meio de disseminar o temor e exercer o domínio sobre a população local. Todos os denunciados são ligados à facção criminosa conhecida como Comando Vermelho.
Segundo o apurado, o grupo é liderado por Fabio Pereira de Souza, vulgo ?Fabinho?, Daniel Rodrigues da Silva, vulgo ?Boca Rosa? e Paulo Ricardo de Oliveira Gomes, vulgo ?Rex?, que exercem seus poderes através de seus representantes e gerentes, que executam a atividade do tráfico de drogas sob sua orientação. ?Fabinho? é o responsável pelo abastecimento de entorpecentes nas comunidades, enquanto ?Rex? e ?Boca Rosa? possuem o poder de comando nas comunidades de Parada Angélica e Santa Lúcia, controlando a distribuição das cargas de drogas e o lucro obtido com as vendas, e orientando o grupo quanto ao posicionamento de ?olheiros? e ?radinhos?, que avisam quando da chegada de policiais aos locais.
A denúncia foi recebida pela 3ª Vara Criminal de Caxias. Em junho de 2018, a 7ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 3ª Central de Inquéritos do MPRJ deflagrou a operação Madre I, que prendeu quatro homens acusados pelo crime de roubo, seguido da morte (latrocínio) do PM Douglas Fontes Caluetê.
As investigações foram realizadas pela Delegacia de Homicídios. A ação também contou com o apoio do Departamento de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR) da Polícia Civil.

Atualmente, ele se encontra na condição de Evadido do Sistema Penitenciário desde 19/05/2018, quando recebeu o benefício de VPL ? Visita Progressiva ao Lar ? e não mais retornou a sua unidade prisional o Instituto Penal Edgard Costa.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do acusado, favor informar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ.

Mandados

Origem Processo expedição
VEP - Vara de Execuções Penais Execução 0355516-22.2003.8.19.0001 - (5863 dia(s) em tramitação)/Recaptura/Pena Privativa de Liberdade Data de Evasão: 19/05/2018/Instituto Penal Edgard Costa