Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Léo Bicudo
Leonardo Luiz Batista

  • 1 - Tráfico Ilícito de Substância Entorpecente (Art. 12 - Lei 6.368/76) Crimes da Lei Sobre O Sistema Nacional de Armas Revogada - Lei 9.437/97, artigo 10, § 2º
    2 - Posse Ou Porte Ilegal de Arma de Fogo de Uso Restrito e Outros (Art. 16 - Lei 10.826/03), § único, IV Crime da Lei Sobre a Corrupção de Menores (Art. 1º - Lei 2.252/54) - Revogado Pela Lei 12.015/09
    3 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), I E E Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), I C/C C/C Crime Tentado Crime Continuado (Art. 71 - Cp)
  • CV - Comando Vermelho
  • Integrante do Tráfico de Drogas
  • Morro da Providência - Centro - RJ
  • 08/06/1975
  • Nº (I.F.P.) (RG: 010.828.6964
  • Rio de Janeiro
  • Procurado

Histórico

Leonardo Luiz Batista é ligado a facção Comando e Vermelho e faz parte do tráfico de drogas do Morro da Providência, Zona Portuária, do Rio de Janeiro.

Em 2013, agentes da Sispen (Superintendência de Inteligência do Sistema Penitenciário) e da 21ª Promotoria de Investigação Penal prenderam Leonardo Luiz Batista, Ele estava foragido desde que conseguiu escapar, com mais 30 detentos, do Instituto Penal Vicente Piragibe, na zona oeste do Rio, em fevereiro do mesmo ano.

Segundo a Justiça, Leo Bicudo foi um SUSPEITOS por sequestrar e matar Priscila Belfort, irmã do lutador de MMA Vitor Belfort. Os agentes chegaram até ele graças a informações passadas ao Disque-Denúncia á época.

O criminoso estava na casa de uma amiga da companheira dele e, quando observou a chegada dos funcionários da Sispen, tentou fugir. Ele correu por quatro quadras, mas foi alcançado. O caso foi registrado na Delegacia de Vila Isabel (20ª DP).

Priscila desapareceu em 9 de janeiro de 2004. Segundo as investigações, ela teria sido morta por traficantes do morro da Providência.

Atualmente, ele se encontra novamente na condição de Evadido do Sistema Penitenciário. Trata-se de apenado condenado a 32 anos, 04 meses e 15 dias de reclusão condenado pela prática de homicídio qualificado, tráfico ilícito de entorpecentes, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, além de outros delitos. Em 11/10/2017, foi-lhe deferida visita periódica à família ? VPL - (seq. 322 dos autos principais). O Parquet, irresignado, interpôs recurso de agravo em execução, com fundamento na norma contida no artigo 124 da Lei de Execuções Penais. No entanto, sobreveio notícia da evasão do apenado em 30.12.2017 (seq. 30.2), tendo este órgão ministerial requerido, nos autos principais, a suspensão dos benefícios extramuros e a expedição de mandado de prisão em desfavor do apenado, que não mais retornou mais a sua unidade prisional o Instituto Penal Edgard Costa.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do acusado, favor informar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ.

Mandados

Origem Processo expedição
VEP - Vara de Execuções Penais Execução 0373988-03.2005.8.19.0001 - (5061 dia(s) em tramitação) Evasão: 17/11/2017/Unidade: SEAPEC - INSTITUTO PENAL EDGARD COSTA