Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

CL da Praça Seca
Claudio do Carmo Silva

  • EVADIDO DO SISTEMA PENITENCIÁRIO

    1 - Lei 11343/06 - Lei de Drogas, ART 35 - Associarem-se duas ou mais pessoas para o fim de pratic...
    2 -
  • CV - Comando Vermelho
  • Integrante do Tráfico de Drogas
  • Praça Seca e Lins de Vasconcelos
  • Nº (I.F.P.) 089.403.569/IFP
  • Rio de Janeiro
  • Foragido do Sistema Penitenciário

Histórico

Claudio do Carmos Silva é integrante do tráfico de drogas e pertencente a facção CV - Comando Vermelho, que atua na na Praça Seca e Morro da Covanca, em Jacarepaguá, Zona Norte do Rio.

Após a prisão do traficante Luiz Claudio Machado, o Marreta - em dezembro de 2014 - o comando das ações da região passou para as mãos do traficante Sérgio Luiz da Silva Júnior, o Da Russa, que responsável pelos pontos de drogas no Morro do Barão, em Jacarepaguá, e no Complexo do Lins, em Lins de Vasconcelos. Tudo com aval e ordem do traficante Marreta, de dentro do presídio.

Com essa alternância constante entre os pontos de drogas do traficante Da Russa, quem gerenciava os pontos de drogas para ele era o traficante Douglas da Silva Araújo, conhecido como Playboy da Barão, junto com ex-miliciano Hélio Albino Filho, o Lica, que chefiava a milícia na Chacrinha e no Bateau Mouche. Mas em 2017, o chefão tomou um golpe de estado de dois dos seus aliados - identificados como Horácio e Digão - que tomaram as favelas da área e o expulsaram. O miliciano, então, se aliou ao tráfico da Barão e começou uma guerra contra a milícia para retomar o poder na área. Entretanto em fevereiro deste ano, Playboy da Barão , sobrinho do traficante Marreta, acabou sendo preso por Policiais militares do 18º BPM (Jacarepaguá), o que fez Da Russa voltar a se alternar entre os pontos de drogas novamente.

Porém, em maio, dois acontecimentos mudaram o totalmente o rumo e o comando do tráfico na região. O primeiro foi a morte do traficante Da Russa durante uma operação conjunta das Forças de Segurança, realizada no dia 19, que ocorreu nas comunidades da Praça Seca. Criminosos tentaram fugir por uma área de mata para o conjunto de favelas do Lins, na Zona Norte. Lá, no entanto, foram recebidos por policiais de unidades de Polícia Pacificadora que também atuavam no local. Após confronto com policiais da UPP, o traficante Da Russa acabou baleado e morreu.

O segundo foi na madrugada do dia 20 de maio, quando Hélio Albino, o Lica, foi preso pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal (PF) durante uma ação que contou com o apoio das equipes da 24ª DP (Piedade) e 29ª DP (Madureira). A prisão aconteceu em Sulacap, na Zona Oeste, local para onde ele fugiu após a Praça Seca, região em que atuava, ser alvo de uma operação das forças de segurança.

Com a prisão do sobrinho de Marreta, a morte do traficante da Russa e a prisão de Lica, uma nova ordem (vinda de dentro do presídio) na distribuição na hierarquia da Praça Seca indicou o traficante Cristiano de Souza Siqueira, o Tiano, de 39 anos, como novo chefe do tráfico de drogas no Morro do Barão e da Covanca. Ele teria vindo do Complexo do Alemão, após decisão da cúpula do CV.

Entretanto, informações indicavam que Tiano estava desviando dinheiro das bocas de fumo da Praça Seca, para seu próprio proveito. Isso fez com que ele fosse julgado pelo ?Tribunal do Tráfico? do Alemão e, teria sido, morto por seus próprios comparsas.

Com a morte de Tiano, quem passou a chefiar o tráfico na Praça Seca, novamente por ordem do traficante Marreta, foi criminoso Bruno Antônio, o Costelão, que também morreu durante uma operação das Forças de Segurança nos complexos do Alemão e da Penha, na Zona Norte, no último dia 20 de agosto. A morte de Costelão fez com que os traficantes da Praça Seca ordenassem o fechamento do comércio na região.

Depois de todos esses acontecimentos na hierarquia da Praça Seca, o comando do tráfico de drogas na região, passou para as mãos dos traficantes Pará G3, Shampoo e CL, que atualmente, controlam todas as atividades criminosas na região.

Pará G3, oriundo do Morro Jorge Turco, estaria gerenciando todos os pontos de drogas da região. Os traficantes Shampoo e Cl estariam, hierarquicamente, como segundos na escala de gerência dos pontos de drogas da Praça Seca e Covanca.

Contra José Ricardo Rodrigues da Silva, o Pará G3, consta um mandado de prisão pelo crime de Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06) C/C Aumento de Pena Por Tráfico Ilícito de Drogas (Art. 40 - Lei 11.343/2006), IV e VI, expedido pela 17º Vara Criminal da Capital, processo nº: 0311891-49.2014.8.19.0001. Ele ainda se encontra na condição de Evadido do Sistema Penitenciário, há 11 anos, quando saiu na VPL ? Visita Periódica ao Lar ? do Instituto Edgard Costa, em 21/06/20007, e nunca mais retornou.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do acusado ainda em liberdade, favor informar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ. Visite também o Instagram oficial do Portal dos Procurados ? portal.procurados-.

Mandados

Origem Processo expedição
VEP - Vara de Execuções Penais Mandado de Prisão Nº: 0041946-51.2017.8.19.0001.0001/Recaptura/Pena Privativa de Liberdade Data de expedição: 06/06/2018