Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Willian Negão
Willian da Silva Santana

  • 1 - Roubo Majorado (Art. 157, § 2º - CP), A, I E Estupro (Art. 213 - CP), c/c 226, IV, ambos do CP E Porte Ilegal de Arma de Fogo de Uso Permitido (Art. 14 - Lei 10.826/03) E Posse Ou Porte Ilegal de Arma de Fogo de Uso Restrito e Outros (Art. 16 - Lei 10.826/03), e art 2º da Lei 12850/13 todos N/F Concurso Material (Art. 69 - Cp)
    2 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), inc I e IV; Crime Tentado
    3 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), II E IV; Crime Tentado (Art. 14, II, Cp). N/F Concurso Material (Art. 69 - Cp)
  • Milícia
  • Integrante da Milícia
  • Santa Maria - Taquara - Jacarepaguá - RJ
  • 30/08/1980
  • Nº (I.F.P.) 122.766.041
  • Rio de Janeiro
  • Procurado

Histórico

Willian da Silva Santana , o Willian Negão é ligado ao grupo paramilitar que age em Santa Maria, na Taquara, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ) e da Promotoria de Justiça com atribuição junto à 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá, ofereceu denúncia contra 12 integrantes de milícia que, desde o segundo semestre de 2018 até os dias atuais, atuam na região de Santa Maria, em Jacarepaguá, na zona Oeste do Rio. As investigações foram conduzidas pelo GAECO/MPRJ e pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO) que, na terça-feira (04/06), obteve êxito em localizar e prender Marcos Silva da Rocha (vulgo Bicudo), envolvido nos crimes imputados na denúncia e apontado como uma das principais lideranças da milícia atuante na região.

Em Santa Maria, o grupo pratica crimes como extorsão a moradores, comerciantes e prestadores de serviço (pela ?oferta? de segurança), roubos, estupros, lesões corporais, exploração de sinais clandestinos de internet, tv a cabo e monopolização da venda de botijões de gás e água, além de receptação veículos e cargas roubadas, com utilização de armas de fogo, inclusive restritas, e explosivos. Aponta o MPRJ que a organização é caracterizada pela divisão de tarefas, com a presença de membros incumbidos da gestão do esquema criminoso; seguranças designados para proteção pessoal dos chefes do bando; soldados; cobradores ou recolhedores; e olheiros.

Segundo a denúncia, um traço marcante da organização criminosa é a utilização de violência e covardia contra todos aqueles que, de alguma forma, atrapalhem seus interesses, seja pela recusa do pagamento das ?taxas?, pela tentativa de fuga dos monopólios comerciais ou pelo acionamento das autoridades de segurança pública. Nessa linha, moradores e comerciantes, com alguma frequência, tiveram seus imóveis invadidos, bens roubados, e sofreram agressões físicas, inclusive com casos de mulheres estupradas. Como resposta, moradores, de forma corajosa e cansados da opressão experimentada na localidade, resolveram criar um grupo de WhatsApp para abastecer a DRACO com informações para ajudar no combate ao grupo.

Segundo a investigação, o grupo ficou mais violento após a prisão de Sérgio Calixto Manhães, conhecido como Carrapato, em novembro do ano passado. De acordo com a denúncia, os milicianos passaram a aterrorizar a comunidade após Carrapato ser preso. Ainda segundo a denúncia, cinco homens invadiram a casa de uma mulher que acreditavam ser informante da polícia e praticaram um estupro coletivo.

Ajude a Polícia do Rio. Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do procurado, favor denunciar pelos seguintes canais: pelo Mesa de Atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, pelo Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/, , ou pelo Aplicativo para celular ? Disque Denúncia ? . O Anonimato é garantido.

Mandados

Origem Processo expedição
Regional de Jacarepaguá 1ª Vara Criminal (Jac) Nº do Mandado de Prisão: 0277956-76.2018.8.19.0001.01.0007-13/Prisão Preventiva Data de expedição: 04/06/2019
Comarca da Capital 2ª Vara Criminal Nº do Mandado de Prisão: 0017017-80.2019.8.19.0001.01.0002-08/Prisão Preventiva Data de expedição: 30/01/2019
Comarca da Capital 4ª Vara Criminal Nº do Mandado de Prisão: 0170015-67.2018.8.19.0001.01.0003-26/Prisão Preventiva Data de expedição: 26/07/2018