Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

PORTAL DOS PROCURADOS PEDE INFORMAÇÕES SOBRE ENVOLVIDO NA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA DENOMINADA ESCRITÓRIO DO CRIME

Portal dos Procurados divulga cartaz para ajudar a Delegacia de Homicídios da Capital ? DH/Capital, com informações que levem a localização e prisão de João Luiz da Silva, o Gago, de 48 anos e Anderson de Souza Oliveira, o Mugão, de 44. Eles são procurados por envolvimento com a organização criminosa denominada Escritório do Crime, que se dedicam a homicídios por encomenda. Os dois já são considerados foragidos da Justiça.

Nesta terça (30/06/2020), Delegacia de Homicídios da Capital, em conjunto com Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), da Polícia Civil do Estado (PCERJ) e da Corregedoria-Geral da Polícia Militar (PMRJ), deflagrou, a operação Tânatos, numa referência ao Deus da Morte na mitologia grega. A investigação contou também com apoio da força-tarefa da Coordenação-Geral de Combate ao Crime Organizado da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (SEOPI/MJSP). Foram presos no início da manhã Leonardo Gouvêa da Silva, o Mad, de 39 anos, e Leandro Gouvêa da Silva, o Tonhão, de 41.

A operação é resultante de três denúncias apresentadas pelo GAECO/MPRJ, que descrevem os crimes cometidos pelo grupo, que possuía ligação estreita com Adriano Magalhães da Nóbrega, conhecido como Capitão Adriano, que exercia forte influência sobre o bando, o qual nutria verdadeira reverência a sua representatividade no submundo do crime.

Capitão Adriano é apontado como mandante do homicídio de Marcelo Diotti da Mata, cuja execução, na noite de 14 de março de 2018, no estacionamento de uma hamburgueria na Barra da Tijuca, ficou a cargo do grupo criminoso agora denunciado. Diotti, que já havia sido preso por homicídio e exploração de máquinas de caça-níqueis, era visto como desafeto por seus executores.

O mesmo grupo criminoso é apontado como autor da tentativa frustrada de execução do PM reformado Anderson Cláudio da Silva ? Andinho - e do também PM Natalino dos Santos Rodrigues, em 6 de janeiro de 2018, na Rua Ribeiro de Andrade, em Bangu. O primeiro alvo, no entanto, não foi atingido pelos disparos.

A organização possui estrutura ordenada e voltada, sobretudo, para o planejamento e execução de homicídios encomendados mediante pagamento em dinheiro ou outra vantagem.

No grupo João Luiz da Silva , o Gago e Anderson de Souza Oliveira Mugão tem como incumbência o levantamento, a vigilância e o monitoramento das vítimas, sendo ainda braços armados do grupo. Ambos são ex-policiais militares.

E diante dos fatos e em decisão exarada pela Justiça, em conformidade com Autoridade Policial da DH/Capital, Drº Daniel Rosas, foi expedido mandado de prisão pela 4ª Vara Criminal da Capital, com numero restrito ao CNJ, e com pedido de mandado de Preventiva, com bases nos artigos 312 caput e 313, INCISO,I, ambos do CP, com validade até 10/06/2040, em desfavor dos suspeitos Anderson de Souza Oliveira e João Luiz da Silva.