Compartilhe:



FOTOS:
 
Compartilhe:
Xaropinho
Errison Lopes de Souza
Recompensa:
R$ 1 Mil
Natural:
Rio de Janeiro - RJ
Situação:
Procurado
Crimes:
Homicídio

Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), inc. V, N.F. art. 73
Facção:
Comando Vermelho - CV
Função:
Segurança
Área de Atuação:
Favela de Antares - Santa Cruz
Histórico:
Errison Lopes de Souza, o Xaropinho, é integrante da facção Amigo dos amigos – ADA, e o acusado de ser o autor dos disparos que matou o cinegrafista Gelson Domingos, de 46 anos.
Xaropinho faz parte do tráfico de drogas que age na favela de Antares, em Santa Cruz, atuando como segurança dos pontos de drogas.
Em novembro de 2011, durante uma operação do Bope na Favela, o cinegrafista Gelson Domingos foi morto ao registrar a operação. Gelson conseguiu filmar o momento em que foi baleado, o que ajudou na investigação feita pelos agentes da Divisão de Homicídios, que identificaram Xaropinho como o autor dos disparos.

Qualquer informação que leve a sua captura, ligue para o Disque-Denúncia (21) 2253-1177. O anonimato é garantido.



Processo nº:
0051563-11.2012.8.19.0001
Tipo do Movimento:

Decisão
Descrição: Mandado de Prisão

1. Recebo a denúncia, havendo justa causa - melhor explicitada no item seguinte - e inocorrentes quaisquer das hipóteses previstas no art. 395 do Cód. Proc. Penal. Cite-se o réu, para os fins do art. 406 do mesmo Código. 2. Ao propor a demanda penal, o Parquet subscreve a representação da autoridade policial e também pugna pela decretação da prisão preventiva do denunciado, merecendo o pleito acolhimento. Com efeito, versa a hipótese sobre homicídio qualificado, ou seja, delito timbrado pela hediondez. A existência do crime está positivada pelo laudo necroscópico de fls. 157/60. A autoria está suficientemente indiciada, pelas declarações colhidas na inquisa, às fls. 97/8, 101/2 e 105/6 - o que traduz o fumus boni iuris. O outro requisito da providência reclamada - o periculum in mora - igualmente se faz ocorrente. O contexto dos autos revela que o acusado é envolvido com o tráfico de drogas que domina a Comunidade de Antares, o que significa que pertence a uma facção criminosa que, além de aterrorizar a população ordeira daquela comunidade, desafia permanentemente a autoridade constituída e o estado de direito, não havendo dúvidas de que sua liberdade compromete sensivelmente a ordem pública. A custódia provisória também se justifica em favor de uma escorreita instrução processual, para que as testemunhas estranhas aos quadros de repressão possam comparecer em juízo com um mínimo de tranquilidade e segurança para depor, sem medo de represálias e aí também estão incluidos os indivíduos que foram presos na mesma operação policial. Por derradeiro, não possui o réu ocupação lícita ou vínculos mais sérios com o distrito da culpa - há notícias de que desapareceu da localidade logo após o evento delituoso, tanto que foi qualificado indiretamente -, sendo a constrição cautelar necessária para assegurar a aplicação da lei penal. Diante desse panorama, soa evidente que as medidas introduzidas pela Lei nº 12.403/2011 não seriam adequadas e nem suficientes para garantir a efetividade do processo. Em face do exposto, com fulcro nos arts. 311 e segs. do Cód. Proc. Penal, decreto a prisão preventiva de Erisson Lopes de Souza, qualificado às fls. 191. Expeça-se o competente mandado, constando como data limite, para fins da Res. CNJ nº 137/2011, o dia 22 de maio de 2012. 3. Defiro as diligências requeridas pelo Min. Público (fls. 252). Dê-se-lhe ciência. Fonte: Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro- Rio 22/05/2012

Processos Judiciais
ORIGEM
PROCESSO
EXPEDIÇÃO
Comarca da Capital/2ª Vara Criminal
No 0051563-11.2012.8.19.0001
14/02/2012
1