Compartilhe:



FOTOS:
 
Compartilhe:
Guilherme
Guilherme Ribeiro Abrahão
Nascimento:
28/03/1954
RG:
RG Nº. (I.F.P.) 245.166.83 - 0
Natural:
Uberlândia - MG
Situação:
Capturado
Crimes:
Capturado

Estupro/Atentado Violento ao Pudor

Estupro de Vulnerável (Art. 217-a - Cp)

Sedução

Art. 217 - Seduzir mulher virgem, menor de 18 (dezoito) anos e maior de 14 (catorze), e ter com ela conjunção carnal, aproveitando-se de sua inexperiência ou justificável confiança:


Função:
Aliciador de menor
Área de Atuação:
Petrópolis/Secretário
Histórico:
Prisão realizada por 91º COMPANHIA PM/17º BPM, Minas Gerais – MG - 04/09/2012

Guilherme Ribeiro Abrahão, 57 anos, foi preso por força de um mandado de prisão preventiva expedido em Petrópolis, no Rio de Janeiro, na data de 22/03/12., Ele foi abordado e preso na rua Marciano Santos, bairro Santa Mônica, Uberlândia, MG, após uma abordagem de rotina.

Segundo o Sargento Hamilton do 91º COMPANHIA PM/17º BPM, Minas Gerais – MG - Abrahão passou o nome incompleto para tentar enganar a PM, mas não deu certo.

A informação inicial colhida pela PM é que Guilherme Abrahão seria um policial no RJ. Ele nega e diz que é professor de teatro. Na casa dele, no bairro Santa Mônica, foram localizadas buchas de maconha e material para embalagem da droga.

O suspeito foi encaminhado à delegacia de Uberlândia e foi transferido para o Presídio Professor Jacy de Assis - MG

Histórico:


Guilherme Ribeiro Abrahão é produtor teatral e encontra-se na condição de foragido da Justiça por ter forçado um menor de 13 anos, a fazer sexo em sua pousada, no município de Secretário, na Região Serrana do Rio.

O crime aconteceu no dia 10 de novembro de 2011, por volta das 9h da manhã, quando em depoimento a vítima contou que foi mantida em cárcere privado por mais de uma hora, sofrendo o abuso e sendo obrigado a realizar coito anal, comprovado no exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal.

De acordo com familiares, o menino foi induzido a entrar no estabelecimento quando voltava de aula de inglês. A família do menor reside em frente à pousada. Enquanto aguardava o pai abrir o portão, o acusado amedrontou o menor dizendo que havia mendigo na região e que eles deveriam entrar na pousada. Dentro da pousada, Guilherme ameaçou o menor forçando-o a fazer o ato. Depois, o adolescente foi libertado e ameaçado.

Contra Guilherme Ribeiro Abrahão, consta pelo Sistema de Cadastramento de Mandados de Prisão – Polinter – 2 (dois) mandados de prisão, expedidos pela 2ª Vara Criminal de Petrópolis – expedidos em 21/11/2011 e 12/04/2012 – capitulação – CPB 217 – A - processo nº 0063126-10.2011.8.19.0042.

Pelo Sistema de Cadastramento de Ocorrências Policiais, constam duas anotações: 106ª DP – 2011 – Estupro de Vulnerável e 105ª DP – 2012 – Porte Ilegal de Arma de Fogo de Uso Permitido.

Sentença

Descrição:
Em 21 de agosto de 2012, às horas, na sala de audiências da 2º Vara Criminal da Comarca de Petrópolis, Rio de Janeiro, perante o MM. Juiz de Direito, AFONSO HENRIQUE CASTRIOTO BOTELHO e na presença do representante do Ministério Público, realizou-se a audiência de continuação da instrução e julgamento designada nos autos. Réu já declarado revel.
Parte da Sentença
Assim sendo, JULGO PROCEDENTE A PRETENSÃO PUNITIVA DO ESTADO, para condenar o acusado por incidência comportamental no artigo 217-A, § 1º, considerada a prova da menoridade do acusado estando dispensada a figura da presunção de violência, uma vez que o tipo penal expressamente a exclui, bastando a realização de atos libidinosos ou sexo de qualquer forma com menor de 14 anos para a realização do tipo, na forma do artigo 71 do Código Penal. Resposta penal. As circunstâncias judiciais1 são favoráveis ao acusado, na medida em que não possui anotações de crimes praticados no passado, sendo o dolo o comum do tipo, pelo que fixo a pena base acima no mínimo legal em 08 (oito) anos de reclusão.Não há circunstâncias agravantes ou atenuantes. Assim, nesta fase, a pena fica mantida no patamar anterior. Como último modulador a continuidade delitiva. Observa-se que, segundo os depoimentos prestados, os fatos ocorreram por no mínimo duas vezes. Assim sendo, acresço a pena em 1/6, valor mínimo do aumento, alcançando definitivamente 09 (nove) anos e 04 (quatro) meses de reclusão.O regime para o cumprimento da pena é o inicial fechado por expressa disposição legal. Custas ex lege. O acusado não poderá apelar em liberdade, uma vez que está evadido. Além do que, considerando a natureza do delito está justificada a manutenção da cautela, sobretudo para preservar a integridade psíquica da vítima e de seus familiares. Após o trânsito em julgado da presente, façam-se as comunicações ao estilo, lance-se o nome do réu no rol dos culpados.Dou a presente por publicada em audiência e intimados os presentes. Registre-se. O MP e a defesa irresignados, interpuseram recurso. Recebo os apelos. Vistas ao MP para suas razões. Após, à defesa.Nada mais havendo, encerrou-se o presente termo às horas.

Qualquer informação que leve a captura de Guilherme, ligue para o Disque-Denúncia (21) 2253-1177. O anonimato é garantido.



Processos Judiciais
ORIGEM
PROCESSO
EXPEDIÇÃO
2ª Vara Criminal/Petrópolis
0063126-10.2011.8.19.0042
21/11/2011 - CPB - 217- A
Comarca de Petrópolis/ 2ª Vara Criminal
0063126-10.2011.8.19.0042
12/04/2012
1