Compartilhe:



FOTOS:
 
Compartilhe:
Bigonha
Luiz Claudio Veríssimo dos Passos
Nascimento:
11/07/1987
RG:
RG Nº. (I.F.P.) 16.568.964
Natural:
Rio de Janeiro - RJ
Situação:
Capturado
Crimes:
Capturado


Tráfico de Drogas

1 - Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06); Crimes de Tortura (Art. 1º - Lei 9.455/97)
Facção:
Comando Vermelho - CV -
Função:
Gerente de Ponto
Área de Atuação:
Morro do Faz Quem Quer - Rocha Miranda - RJ
Histórico:
Prisão realizada por 9º BPM - 03/06/2015


Apontado pela polícia como um dos autores da tortura que culminou na morte de Rayssa Christine Machado de Carvalho Sarpi, de 18 anos, Luiz Claudio Veríssimo dos Passos, o Bigonha, de 28 anos, foi preso nesta quarta-feira durante uma operação do 9º BPM (Rocha Miranda) na Favela do Terço, naquele bairro da Zona Norte. A jovem foi espancada na Favela do Faz Quem Quer, em setembro do ano passado. O crime circulou nas redes sociais.




Histórico:


Luiz Claudio Veríssimo dos Passos, o Bigonha é procurado pelo crime de tortura seguido de morte de da Rayssa Christine Machado de Carvalho Sarpi, a jovem de 18 anos, que foi filmada enquanto era torturada por traficantes da favela Faz Quem Quer, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio, na madrugada do dia 20/09, e que circulou em todas as redes sociais. O espancamento teria ocorrido por ela ter tido um possível relacionamento com um policial militar.

As imagens foram registradas na durante um baile funk no morro A gravação mostra a jovem seminua, com hematomas e feridas abertas por todo o corpo, tendo seu cabelo raspado com uma tesoura e uma lâmina de barbear. No vídeo com cerca de três minutos, a vitima estava sentada e, com o corpo todo ensanguentado, enquanto um homem raspava sua cabeça. Em frente à vítima, outro homem a ameaça com um facão e explica a causa da tortura: "Pensou nisso quando fez a fofoquinha?". A jovem chora e, em alguns momentos, pede o fim da tortura. "Não tô aguentando mais. Calma, para", suplica ela. Eles também chegaram a cortar o couro cabeludo da jovem para escrever a sigla de uma facção que domina a localidade.

Pelo Banco Nacional de Mandados de Prisão – CNJ – e Sistema de Cadastramento de Mandados de Prisão – Polinter - consta mandado de prisão, expedido pela 2ª Vara Criminal da Regional Madureira, datado em: 24/10/2014, com validade até: 23/10/2034, assunto: Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06); Crimes de Tortura (Art. 1º - Lei 9.455/97), Pedido de Prisão Temporária de 30 dias.

Pelo Sistema de Identificação Criminal, constam duas anotações: 28ª DP – 24/03/2009 – artigo 18 da Lei 10826, artigo 33 da Lei 11343 – aguardando – 2ª Vara Criminal da Madureira e 40ª DP – 30/09/2014 – associação para a produção de drogas e artigos 35 e de crime de tortura – aguardando - 2ª Vara Criminal da Madureira.

Pelo Sistema de Identificação Penitenciaria, consta que o procurado já teve passagem pelo sistema carcerário. Ele ingressou em 06/04/2009, indo ara Cadeia Pública de Magé, saindo em liberdade em 26/06/2009.

Pelo Sistema de Cadastramento de Ocorrências Policiais: 40ª DP – 2014 – Trafico de drogas; 40ª DP – 2014 -= Associação; 40ª DP – 2014 – Homicídio; 40ª DP – 2014 – Crime de Tortura e 40ª DP – 2014 – Associação.


Processo nº: 0030149-62.2014.8.19.0202
Tipo do Movimento: Decisão
Descrição: Trata-se de representação pela prisão temporária feita pelo Exmo. Senhor Delegado de Polícia da 40ª D.P., no inquérito policial 040-04560/2014, com o escopo de apurar a autoria de ilícito penal de crime de tortura seguida de morte c/c associação para o tráfico de drogas, sob a alegação de ser imprescindível à investigação, ante a necessidade de se identificar todos os agentes envolvidos na empreitada criminosa. Consta nos autos que a vítima Rayssa Crhistine Machado de Carvalho Sarpi teria sido cruelmente espancada e torturada, pelos Indiciados Anderson Sant'anna da Silva, vulgo Gão; Hualter Kim Taborda Sodré, vulgo Quase; Douglas Donato Pereira, vulgo Dina; Marcelo da Silva Alves, vulgo Thielinho; e Luiz Cláudio Veríssimo dos Passos, vulgo Bigonha, que seriam indivíduos que atuam no tráfico de drogas daquela comunidade, disseminando o terror na região, sendo que tais fatos levaram a vítima à óbito, conforme certidão de fls. 21 dos autos, conforme vídeos gravados pelos próprios meliantes, acostados às fls. 58. O Ministério Público opinou favoravelmente ao requerimento às fls. 108/110. É o relatório. Passo a decidir. A prisão temporária é regulada pela Lei 7960/89 e pode ser decretada: I - quando imprescindível para as investigações do inquérito policial; II - quando o indicado não tiver residência fixa ou não fornecer elementos necessários ao esclarecimento de sua identidade; III - quando houver fundadas razões, de acordo com qualquer prova admitida na legislação penal, de autoria ou participação do indiciado nos seguintes crimes: ..... No caso em contexto, o fundamento legal da medida pleiteada está previsto no parágrafo 4º do art. 2º da Lei 8072/90 que dispõe: ´Art. 2º Os crimes hediondos, a prática da tortura, o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins e o terrorismo são insuscetíveis de: ........ § 4o A prisão temporária, sobre a qual dispõe a Lei no 7.960, de 21 de dezembro de 1989, nos crimes previstos neste artigo, terá o prazo de 30 (trinta) dias, prorrogável por igual período em caso de extrema e comprovada necessidade. (Incluído pela Lei nº 11.464, de 2007) ......´ Assim sendo, verifica-se que o pleito ministerial merece prosperar, em parte, ante o preenchimento dos requisitos legais, vez que se trata de investigação de crime de tortura seguida de morte c/c associação para o tráfico de drogas, havendo fortes indícios de que os indivíduos Anderson Sant'anna da Silva, vulgo Gão; Hualter Kim Taborda Sodré, vulgo Quase; Douglas Donato Pereira, vulgo Dina e Luiz Cláudio Veríssimo dos Passos, vulgo Bigonha tenham praticado o delito em apuração, posto que foram citados pelas testemunhas de fls. 12, 23, 46 e 52 como participantes, em tese, da empreitada criminosa, sendo Anderson da Silva, vulgo Gão, notoriamente conhecido como ´Dono do Morro´, sem cujas ordens nada acontece na comunidade, bem como pela própria vítima no vídeo gravado pelos próprios meliantes, no qual cita claramente os indivíduos Quase e Dina durante a sessão de tortura a qual era submetida, havendo necessidade de se aprofundar as investigações visando a identificação de todos os demais agentes criminosos envolvidos e a descrição da conduta delituosa de cada um, o que é imprescindível para a completa elucidação dos fatos em apuração. Quanto ao Indiciado Marcelo da Silva Alves, vulgo Thielinho, o pedido não merece prosperar, tendo em vista a ausência de mínimos indícios de sua participação, posto que sequer foi citado pelas testemunhas arroladas nos autos do IP. Assim sendo, DEFIRO O PEDIDO DE PRISÃO TEMPORÁRIA DE Anderson Sant'anna da Silva, vulgo Gão; Hualter Kim Taborda Sodré, vulgo Quase; Douglas Donato Pereira, vulgo Dina e Luiz Cláudio Veríssimo dos Passos, vulgo Bigonha, por 30 (trinta) dias, com fulcro no art. 2º, parágrafo 4º, da lei 8072/90. Expeçam-se Mandados de prisão. Cumpra-se. Oficiem-se aos órgãos de praxe. Intime-se.

(Atualizado em 12/11/2014)
1